domingo, 22 de novembro de 2015

Prazer, me chame de Lucëre Cardinaly...



Prazer, me chame de Lucëre Cardinaly.
Ainda pouco conhecida por este nome, porém venho de outros blogs, de longas datas, nos quais eu assinava (e fui conhecida) por Morphyna Nephilim.
O caminho mágicko, caminho este que ora o perseguir, ora sou perseguida por ele, sempre me despertou em mim uma infinidade de interesses e curiosidades...
A muitos anos, quando eu era ainda muito jovenzinha, me sentia perdida no meio dos mistérios que pouco a pouco me arrastavam para a escuridão do não ser e nada saber... o caminho obscuro dos iniciantes, de todos os neófitos...
E vivi diversas vezes perdida cada vez mais, eu sabia que pertencia àquele mundo misterioso, mas eu temia ser algo destruidor, assombroso e maléfico... Dai procurei me agarrar à luz e procurei todo o caminho inverso no qual as pessoas comuns denominam de "bem". Porém, lá no caminho do "bem", passei a termer o "mal" que eu percebi não ser uma escolha ou uma opção... pois ele habitava dentro de mim... mas um detalhe me ocorreu, um portal me foi aberto, e um mistério foi relevado: O bem e o mal não são distintos, são unidos pela linha do Todo. As polaridades são uma só, porém com suas faces opostas, nem melhor, nem pior, mas necessárias, assim como tudo no Universo (dia e noite, calor e frio, feminino e masculino, Deus e Deusa...).
Nem tudo é como inicialmente achamos que é... Nem tudo que os nossos olhos vêem são verdade, mas existem verdades que os nossos olhos não são capazes de ver, sem serem treinados...
Criei esta página para focar o lado místico da vida, do mundo e das leis que regem o Universo.
Certa vez li em um livro uma frase que me chamou bastante a atenção: "nem sempre, muita luz equivale ao Bem, assim como também, nem sempre, a escuridão equivale ao mal."
E por hora, encerro minha apresentação com esta reflexão.

Por que Guardiã dos Mistérios?
Guardo em mim todos os segredos que também existem dentro de você, basta preparar os olhos para os reconhecer e encontrá-los.

Lúcere Cardinaly

Nenhum comentário:

Postar um comentário